Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Amplificador, caixa de som e subwoofer: o que considerar ao comprar

amplificador_caixa_de_som_Frahm

Amplificador, caixa de som e subwoofer são recursos fundamentais para um projeto de sonorização de ambientes. A combinação e uso dos três equipamentos, no entanto, depende de uma avaliação técnica, que considere as características do ambiente, as necessidades de uso, o objetivo do projeto etc.

 

A escolha de amplificador, caixa de som e subwoofer deve ser feita avaliando cada item individualmente, mas também considerando o seu uso em conjunto. Afinal, eles serão utilizados de forma combinada no projeto. 

 

Neste artigo, você vai conferir o que deve considerar ao comprar amplificador, caixa de som e subwoofer. Continue com a leitura!

 

O que considerar ao comprar um amplificador?

 

Os amplificadores boosters e de fonte chaveada são os dois tipos mais usados no mercado. Os boosters têm uma configuração simples e são mais indicados para projetos que precisam de até 100 W RMS por canal, com impedância de 2 a 4 Ohms. Além dessas características, os amplificadores boosters podem ser ligados apenas em saídas de baixa impedância.

 

Os amplificadores de fonte chaveada têm mais componentes em seu circuito, por isso são mais complexos do que os boosters. Devido às suas características, esse tipo de aparelho amplifica o sinal de áudio, tornando-o melhor. Outra vantagem desse sistema é que pode ser usado em diversos tipos de projetos.

 

Os dois tipos de amplificadores também podem ser divididos da seguinte forma:

 

  • classe A: são menos eficientes, pois consomem muita energia e esquentam mais. Por outro lado, distorce pouco o som, rende mais e oferece maior fidelidade sonora;

 

  • classe B: é um modelos menos utilizado, por causa da baixa qualidade da amplificação de sinais específicos e alto nível de distorção não é indicado para projetos de sonorização ambiente;

 

  • classe AB: esse modelo reúne as vantagens das classes A e B. Oferece baixa distorção e baixo consumo de energia. Dessa forma, temos um aparelho que consome menos energia, oferecendo um som de melhor qualidade;

 

  • classe D: são os amplificadores digitais, que já vêm embutidos nos subwoofers. Por esse motivo, reproduzem as frequências mais baixas com mais nitidez. Produzem pouco calor e entregam boa eficiência. São mais indicados para uso combinado com caixas de som mais graves.

 

Todos esses modelos são transistorizados. Isso quer dizer que contam com componentes internos pequenos que oferecem bom desempenho e precisam de uma área grande para serem instalados. Com exceção da classe D, podem ser posicionados num rack dedicado aos aparelhos da sonorização ou serem embutidos na parede do imóvel.

 

Além de considerar essas características na hora de escolher um amplificador, é importante considerar outros fatores. Ele deve ter a potência mais próxima da potência dos alto-falantes, assim como a impedância deve ser a mesma do cálculo feito nos alto-falantes.

 

Veja 6 dicas para não errar em seu projeto de sonorização.

 

O que considerar ao comprar uma caixa de som para um projeto de sonorização de ambientes?

 

As caixas de som são os equipamentos de sonorização com maior gama de opções, por isso podem ser até mais difíceis de escolher. 

 

Em um primeiro momento, você precisa definir o tipo de caixa, que pode ser indoor ou outdoor. A primeira opção deve ser usada apenas em ambientes internos, enquanto a segunda opção pode ser usada em ambientes abertos ou externos.

 

As caixas outdoor são desenvolvidas para aguentar as ações do clima, como sol, calor, chuva, frio, vento etc. Por isso, são produzidas com material reforçado e pintura específica. As caixas utilizadas em ambientes abertos também devem ter uma reprodução acústica melhor, pois seu som vai competir com diversos tipos de barulhos.

 

Saiba como escolher a melhor caixa de som para ambiente aberto.

 

As caixas ainda podem ser de embutir ou sobrepor. No primeiro caso, as caixas são embutidas no teto, deixando o ambiente mais discreto e podendo distribuir o som pelo ambiente de forma focada. Os modelos de sobrepor são instalados na parede, sendo direcionados para um ponto específico e ficam aparente no ambiente.

 

Saiba como instalar um equipamento de som embutido no gesso.

 

O que avaliar ao comprar um subwoofer?

 

Os subwoofers podem ser encontrados em diversos tamanhos, sendo os mais comuns os de 8, 10 e 12 polegadas. O tamanho influencia no deslocamento de ar. Quanto maior o equipamento, mais espaço para o ar se movimentar, o que torna a potência maior e a qualidade do som melhor

 

No entanto, você não deve se prender a essa questão do tamanho, pois não é o único fator que influencia na qualidade. Saber como é o espaço em que o aparelho será instalado também é importante, pois isso vai determinar a distância entre as caixas. 

 

Outro ponto importante é o tipo de conexão do subwoofer. Ela deve ser compatível com as conexões usadas nos outros componentes do sistema.

 

Muitas pessoas escolhem o subwoofer pela potência, mas ela deve ser expressiva apenas em espaços maiores. Um subwoofer com 200 W de potência é suficiente para uma sala pequena. Se o espaço for maior, então o ideal é usar modelos mais potentes.

 

Por fim, o tipo da caixa do subwoofer também vai determinar o funcionamento do equipamento. Conheça as duas opções que existem no mercado:

 

  • Caixa selada: é toda fechada, o que evita qualquer tipo de distorção de som. O áudio reproduzido é mais limpo e entrega uma resposta melhor. Porém, a diferenciação dos agudos não é tão clara.

 

  • Caixa bass reflex: indicada para projetos que precisam alcançar frequências mais baixas e nítidas. Oferece melhores resultados sem precisar de potência.

 

Aproveite para escolher amplificador, caixa de som e subwoofer ideal para o seu projeto de sonorização residencial. Conheça os produtos da Frahm.

Últimos Artigos

WhatsApp Fale com um atendente