CFTV: o guia completo para empresas e profissionais da área


23 de junho de 2022


CFTV: o guia completo para empresas e profissionais da área

A instalação de câmeras de monitoramento deixou de ser uma prática comum apenas para ambientes comerciais e imóveis de alto padrão. Hoje em dia, a segurança é uma prioridade e necessidade que abrange diversos perfis de pessoas. 

 

Durante a pandemia, o que vinha ainda como uma tendência de mercado, deslanchou, mostrando que as pessoas estão mais preocupadas com a segurança de seus patrimônios e entes queridos. 

 

O mercado de CFTV cresceu nos últimos anos e a expectativa é que continue crescendo. Por isso, é um setor interessante para quem quer investir em um novo segmento ou expandir a atuação da empresa. A seguir, você vai entender mais sobre CFTV e como atuar nesse mercado.

 

O que é CFTV?

 

CFTV é a sigla para Circuito Fechado de TV, um sistema de captação e armazenamento de imagens obtidas por meio de câmeras digitais ou analógicas. O CFTV é um recurso utilizado para a vigilância por meio de vídeos. Com alguns monitores conectados em uma rede central, é possível monitorar um determinado ambiente ou local, como residências e prédios comerciais.

 

Para obter o melhor resultado e conseguir monitorar o ambiente adequadamente, o sistema CFTV precisa capturar áudio e imagem. Todo o sistema depende de recursos de cabeamento e deve armazenar o conteúdo obtido.

 

As câmeras, digitais ou analógicas, são responsáveis pela captura do som e das imagens e para que sejam transmitidas, mas alguns recursos adicionais, como monitores, por exemplo, também são necessários para completar o sistema.

 

Como funciona um sistema CFTV funciona?

 

Em um sistema CFTV, as câmeras capturam e armazenam as imagens, que podem ser transmitidas na central de monitoramento ou visualizadas em dispositivos móveis.  Dessa forma, o CFTV pode ser utilizado por uma empresa de segurança patrimonial e por uma pessoa ou família que deseja monitorar um determinado espaço e acompanhar o que está sendo capturado em tempo real.

 

Para que as imagens sejam capturadas e transmitidas, o sistema depende de alguns equipamentos como DVR, NVR ou HVR. Além disso, o sistema também precisa de uma fonte de alimentação para as câmeras e conectores de cabos de vídeo. Todos esses recursos devem ser de boa qualidade, especialmente os cabos, para garantir o sinal e evitar que seja interrompido.

 

O sistema CFTV funciona a partir de uma conexão com a rede elétrica. Isso significa que, diante de uma queda ou interrupção de energia, a comunicação entre o sistema e a central de monitoramento pode ser perdida. 

 

Para minimizar esse problema, garantindo que as imagens sejam capturadas e armazenadas por mais tempo, é preciso ter um nobreak como recurso intermediário. O sistema CFTV é conectado ao nobreak, que é conectado à fonte de energia. Conheça mais sobre os equipamentos utilizados em um sistema CFTV.

 

Tipos de sistemas

 

O CFTV pode ser configurado a partir de dois tipos de sistemas: analógico ou digital. A escolha do sistema vai determinar os tipos de equipamentos que são necessários, além de outros aspectos, como investimento, qualidade etc. Entenda melhor a seguir:

 

  • Sistema analógico: é o modelo mais antigo, que utiliza tecnologia inferior, tanto na captura e armazenamento das imagens, quanto na reprodução do conteúdo. 

 

A vantagem de utilizar um sistema analógico está no custo de instalação, que é menor, na maior variedade de modelos de câmeras e na compatibilidade de aparelhos. O sistema analógico permite que recursos de fabricantes diferentes se comuniquem.

 

Por outro lado, a qualidade das imagens de um sistema analógico é inferior. As câmeras não contam com recursos de zoom digital, iluminação noturna e outras tecnologias que tornam o monitoramento mais eficiente.

 

O sistema analógico é mais complexo para ser instalado, pode apresentar problemas de interferência e não é capaz de registrar longas distâncias.

 

  • Sistema digital: é o modelo mais atual e tecnológico, embora apresente um funcionamento semelhante ao analógico. 

 

Os diferenciais do sistema digital são a possibilidade de identificar pessoas, objetos roubados, permitir a edição de imagens e conectar com outros recursos.

 

No sistema digital, as câmeras apresentam uma qualidade maior, zoom digital, recursos de detecção de movimento, reconhecimento facial e reconhecimento de placas de veículos. Esse tipo de sistema também oferece mais segurança, pois os dados são criptografados com um protocolo de autenticação. Para acessar, é necessário informar uma senha.

 

Outras vantagens desse sistema é a facilidade para acessar as imagens remotamente e não sofrer interferências de outros equipamentos. O custo desse sistema é maior, mas pelos benefícios que oferece acaba compensando.

 

Quais equipamentos são necessários para montar um sistema CFTV?

 

A montagem de um sistema CFTV vai depender, primeiramente, do tipo escolhido: analógico ou digital. No entanto, alguns recursos básicos são necessários em qualquer um dos tipos de sistema. O que vai diferenciar, em geral, é a tecnologia adotada em cada um e a versão de cada equipamento. Veja a seguir, quais são os recursos comuns em um sistema CFTV.

 

Câmeras

 

Recurso imprescindível em qualquer sistema CFTV, sendo analógico ou digital. Existem diversos tipos de câmeras, conheça alguns deles a seguir:

 

  • Box: são câmeras protegidas por uma caixa, que oferece mais segurança;
  • Bullet: são modelos com formato cilíndrico e sensor infravermelho, que permite o reconhecimento de movimento, por exemplo. Além disso, contam com proteção anti chuva;
  • Dome: esse é o modelo mais popular, conta com uma estrutura arredondada que lembra um globo de neve; 
  • Pinhole: são câmeras menores e menos utilizadas, mas atendem bem situações de resolução de conflitos internos.

 

A escolha da câmera deve ser feita considerando a necessidade do local e do tipo de monitoramento do ambiente. Em ambientes internos, por exemplo, faz sentido que a câmera escolhida tenha microfone. Já em áreas abertas, o infravermelho pode ajudar a identificação no escuro.

 

Outros modelos, mais modernos, permitem a marcação de objetos de valor. Assim, em caso de furto, a câmera consegue identificar a ação e acionar o sistema de alerta, notificando os seguranças do local.

 

Lentes

 

As câmeras e as lentes são vendidas em conjunto, por isso, muitas pessoas acabam não avaliando esse recurso separadamente. Mas é preciso escolher a câmera considerando, principalmente, as lentes. Afinal, elas serão responsáveis pela qualidade das imagens capturadas e também pelo resultado das capturas. 

 

As lentes fixas, por exemplo, são as mais comuns em câmeras de monitoramento e possibilitam a captura de um ângulo de visão maior. Além disso, a imagem desse tipo de lente apresenta mais foco, se for essa a necessidade do monitoramento.

 

As lentes auto íris compensam a luminosidade do ambiente, dessa forma, suas imagens são mais nítidas mesmo em condições adversas, ou seja, quando a iluminação no local não está tão boa.  

 

Armazenamento e gerenciamento de dados

 

Enquanto as imagens estão sendo capturadas, o ideal é que esse conteúdo forme um acervo, pois não é possível acompanhar todas as capturas em tempo real. Por isso, o sistema depende de um equipamento que vai permitir que as imagens sejam armazenadas e gerenciadas posteriormente.

 

O DVR (Digital Video Recorder) é o equipamento que armazena e gerencia os dados em um sistema analógico. Esse sistema permite que os dados sejam registrados em um formato digital e faz a comunicação entre a câmera e o monitor, onde as imagens serão transmitidas.

 

Depois que as imagens já estão digitalizadas, elas são armazenadas em um HD (Hard Drive ou um Disco Rígido). 

 

Os HVRs (Hybrid Video Recorders) são equipamentos híbridos, que podem ser usados por câmeras analógicas ou digitais.

 

O NVR (Network Vídeo Recorder) é um gravador digital de vídeo em rede, ou seja, um software que grava o vídeo no formato digital para uma unidade de disco, que pode ser USB, cartão de memória SD ou outro dispositivo.

 

Cabos coaxiais

O cabo coaxial é um condutor utilizado na transmissão dos sinais. Ele é formado por um fio de cobre revestido por um material isolante e blindado. É específico para esse tipo de uso, onde é preciso conectar diversos equipamentos para que se comuniquem e transmitam um sinal específico. 

 

Além do uso em sistemas de CFTV, os cabos coaxiais são muito utilizados em infraestruturas de rede de internet. O investimento nesse cabo é importante para garantir que a comunicação e a transmissão do conteúdo digital entre os equipamentos seja feita. A falta de qualidade de um cabo de comunicação pode impedir que o monitoramento seja feito.

 

As imagens capturadas pelas câmeras do sistema também podem ser acessadas por um dispositivo móvel, como smartphone, tablet ou computador. Dessa forma, não é necessário investir em cabos, equipamentos de armazenamento e transmissão. Por outro lado, o registro do conteúdo é limitado.

 

Quais são as vantagens do sistema CFTV?

 

Um sistema CFTV é a garantia de que o ambiente estará sempre protegido e resguardado. Diante de qualquer problema ou adversidade, é possível consultar as câmeras e saber exatamente o que aconteceu. 

 

Conhecer as vantagens do sistema CFTV é extremamente importante para os profissionais da área, afinal, sabendo mostrar isso aos clientes as chances de venda são ainda maiores. Veja algumas das vantagens a seguir:

Evite arrombamentos e invasões de propriedade

As câmeras inibem as ações de criminosos, pois eles sabem que um local monitorado pode ter seguranças vigiando em tempo real. Dessa forma, em caso de invasões e arrombamentos, a atuação da polícia é mais rápida. 

 

Além disso, mesmo que consigam agir rapidamente, por meio das câmeras é possível identificá-los com maior facilidade. Áreas monitoradas por câmeras costumam ser menos invadidas do que outros locais que não são monitorados. 

 

Ajuda a reduzir os custos de um seguro

O valor de um seguro é balizado pelo risco de sinistro que o bem oferece. Isso quer dizer que o seguro de um veículo que passa a noite na rua será maior do que o de um carro que dorme na garagem.

 

A mesma lógica funciona para o imóvel. Se o local conta com recursos de segurança, como câmeras de monitoramento, circuito de alarme, cerca elétrica e outros mecanismos, o seguro do local será mais barato do que o de um imóvel sem nenhuma proteção.

 

Aumenta a segurança no local

Isso serve tanto para evitar invasões ao imóvel, quanto para proteção interna e segurança pessoal. Por exemplo, pais de crianças pequenas, que passam o dia com uma cuidadora ou cuidador, conseguem acompanhar a rotina dos filhos à distância.

 

Caso a pessoa que recebe cuidados seja um idoso, por exemplo, também é possível saber se a pessoa está passando por maus tratos ou se está recebendo toda atenção que precisa de quem cuida dele.

 

Torna a vigilância mais eficaz e econômica

Quando o monitoramento é feito por profissionais de segurança, é preciso investir mais e ter o maior número de profissionais para que consigam monitorar todo o local. Ainda assim, há chances de o monitoramento não ser efetivo.

 

Com um sistema CFTV, é possível ter uma equipe reduzida, mantendo profissionais dedicados ao monitoramento digital. Dessa forma, é possível manter a segurança de vários locais ao mesmo tempo por um custo bem menor.

 

O papel do CFTV na segurança eletrônica

 

Alcançar a eficiência na segurança eletrônica é um processo que depende de diversos fatores. Profissionais capacitados, recursos adequados para o ambiente, controle de acessos ao local, entre outros recursos são fundamentais para que um ambiente seja protegido. Além disso, é preciso contar com um sistema CFTV.

 

Nesse tipo de estratégia, o papel do CFTV é o de monitorar, mas, ao mesmo tempo, de manter registros que possam amparar decisões e avaliações, diante de qualquer violência que o local possa sofrer.

 

Um sistema CFTV é capaz de revelar as fragilidades e vulnerabilidades do ambiente. Para isso, é preciso que o material gravado seja revisitado sempre que o local for violado. A partir dessa avaliação, é possível buscar novas estratégias de controle para garantir a segurança do local.

 

Se uma pessoa conseguiu entrar no ambiente monitorado, por exemplo, é preciso avaliar como se deu aquele acesso. O armazenamento das gravações pode ser usado nesta análise para que decisões sejam tomadas para corrigir as falhas de segurança no local.

 

A atuação pode ser ainda mais ampla. Para isso, é preciso que o sistema CFTV esteja em pleno funcionamento e todos saibam como tirar o melhor projeto de seus recursos.

 

Projeto CFTV: como desenvolver para um ambiente

 

Um projeto CFTV deve ser personalizado, de acordo com as características do ambiente e necessidades do cliente. Veja a seguir, o passo a passo para desenvolver o seu!

 

Avaliação técnica do local

A avaliação é necessária para identificar as necessidades e características do ambiente. Mapeie quais são os pontos de vulnerabilidade do ambiente, quantifique esses pontos. Em seguida, você deve medir a distância entre os pontos. 

 

O objetivo é que você consiga identificar onde são os locais que precisam de câmeras e qual será a distância entre cada uma delas. Dessa forma, você terá a informação da metragem de cabo que precisa para a instalação.

Escolha o tipo de sistema

Qual é o tipo de sistema que melhor atende à necessidade do cliente? Um sistema analógico ou um sistema digital? Além disso, como será o monitoramento? Vai precisar de uma central ou vai monitorar pelo celular?

 

Ter essa resposta é importante, pois ela influencia na decisão do sistema. Alguns sistemas não permitem o monitoramento por meio do celular, apenas através de uma central.

Compre os equipamentos

Agora, que você já sabe tudo que precisa, já pode comprar os equipamentos. Busque um fornecedor conhecido no mercado e que ofereça garantia para os recursos adquiridos. Assim, diante de qualquer problema, você pode contar com o fornecedor para prestar suporte.

Instalando o sistema CFTV

Saiba como é o processo de instalação do seu sistema CFTV:

 

  • Cabeamento:  respeite uma distância de 30 centímetros entre os cabos e a linha de energia. Os fios devem ser posicionados de forma que não prejudiquem as imagens, deixando-as nítidas. Caso opte por cabos RGC – 59, o comprimento deve ser menor do que 130 metros. Para os fios RG – 59/U, trabalhe com um comprimento de no máximo 230 metros.

 

  • Câmeras: devem ser fixadas em suportes na parede, direcionadas para o ponto que deseja gravar. Verifique as polaridades e os terminais das entradas se são positivos ou negativos, pois isso vai influenciar na energia fornecida ao equipamento. Conecte os cabos à fonte de energia por meio de conectores. Opte por modelos que evitam descargas elétricas, para evitar incidentes durante a instalação.

 

  • Monitoramento: esse ponto é válido apenas para sistemas que não serão monitorados pelo celular. Você vai precisar de um espaço adequado e mantenha as fontes próximas aos terminais. Mantenha os condutores separados dos fios siameses que são conectados a elas. Em seguida, conecte com o receptor escolhido, DVR, HVR ou NVR.

 

Esse passo a passo pode te ajudar, mas tanto a avaliação do ambiente quanto a instalação do sistema são processos complexos. Um profissional especializado é a pessoa mais indicada para desenvolver o projeto e instalar as imagens, evitando que você enfrente problemas no futuro.

 

O profissional deve ser um técnico habilitado e capacitado para esse tipo de projeto. Procure por alguém com experiência na área, que seja capaz de desenvolver o projeto ideal para a necessidade do seu ambiente.

 

O mercado de CFTV e segurança eletrônica atualmente

 

Com as dificuldades impostas pela pandemia, alguns mercados e pessoas tiveram que buscar recursos para se adaptar. Diante disso, diversos setores da economia apresentaram crescimento. Foi o que aconteceu com o mercado de CFTV e segurança eletrônica. 

De acordo com dados da Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese), esse mercado cresceu 13% em 2020. O segmento se tornou essencial para enfrentamento da pandemia. O crescimento do mercado se deve, principalmente, ao aumento nas vendas e adesão de câmeras de videomonitoramento e portarias remotas.

 

O isolamento social fez com que algumas pessoas deixassem suas casas em grandes centros à procura de tranquilidade e isolamento no litoral e no interior. Com isso, esse público identificou uma necessidade de manter os imóveis vazios protegidos, além de manter a própria segurança nas propriedades escolhidas para ser a nova residência temporária.

 

Diversas empresas já anunciaram a adesão ao modelo de trabalho remoto como padrão e isso pode estimular, ainda mais, o movimento de profissionais do grande centro para regiões mais isoladas. Diante desse novo cenário, as expectativas para o mercado de monitoramento são positivas.

 

Em contrapartida, há também os grupos de pessoas que terão que voltar aos escritórios, deixando filhos e pessoas idosas sob os cuidados de terceiros. As câmeras de monitoramento também atendem esse perfil, que precisa manter familiares seguros e bem cuidados.

 

Isso, claro, sem falar em ambientes comerciais, industriais e corporativos que continuam priorizando a segurança de seus espaços físicos.

 

Como começar a prestar serviço na área de segurança digital

 

Quer empreender no mercado de monitoramento, mas não sabe por onde começar? Veja a seguir, quais são os primeiros passos que você deve dar.

 

Estude o mercado

Antes de começar a atuar em uma área, é fundamental entender o mercado. Conheça os desafios e as oportunidades desse setor. Identifique quais são os serviços que você pode oferecer e, o mais importante, com quais têm mais afinidade.

 

Identifique a concorrência

Faça um mapeamento de quais são os concorrentes. Estude quais são os diferenciais dessas empresas e quais são as suas fraquezas. Com essas informações, você consegue criar um plano com as estratégias que pode traçar para se diferenciar.

 

Capacite-se

Um profissional capacitado é o diferencial para as empresas que estão chegando em um novo mercado. O conhecimento técnico é fundamental para oferecer um bom serviço e alcançar mais clientes. Mantenha-se sempre aprendendo e buscando conhecimento sobre a sua área de atuação.

 

 

Faça parceria com bons fornecedores

Para começar, você não vai conseguir ter todos os equipamentos que precisa. Até mesmo depois que tiver anos de mercado. Você vai saber quais são os equipamentos com maior saída, que é interessante manter em sua loja, para conseguir atender à demanda. 

 

Mas em outros casos, é melhor ter um fornecedor com quem você pode contar. Assim, sempre que um novo projeto surgir, ele conseguirá atender às necessidades do seu projeto, sem te deixar na mão.

 

Como escolher um bom fornecedor

 

O fornecedor é um parceiro importante em qualquer negócio. Para atender bem o seu cliente, você vai depender da agilidade do seu fornecedor e da qualidade dos equipamentos que ele vai oferecer.

 

Dessa forma, para construir essa relação, a confiança deve ser um dos principais pilares. Procure um fornecedor que tenha nome no mercado e uma boa reputação. Converse com os representantes das opções que encontrar, avalie o atendimento, a agilidade e o comprometimento que são oferecidos desde o início.

 

Saiba qual é a procedência dos equipamentos e verifique como é a atuação do fornecedor em caso de problemas com os produtos que ele vende. Isso é muito importante, pois diante de qualquer falha do sistema de monitoramento, a resposta para o seu cliente deve ser rápida.

 

Prefira fornecedores brasileiros, pois isso elimina a barreira do idioma e evita que você espere muito tempo até que um equipamento seja substituído.

 

Principais áreas para atuar com CFTV

 

Quer começar a atuar no mercado de CFTV desde já? Veja quais áreas você pode atender:

 

  • Residencial: o monitoramento doméstico está entre os principais desse mercado, é possível instalar câmeras na área externa do imóvel, no jardim e varanda e internamente, em ambientes como sala, cozinha etc;
  • Comercial: toda loja precisa ter uma câmera para garantir a segurança. Nessa área, você pode atender os mais diversos segmentos do comércio;
  • Condomínios: são ambientes totalmente monitorados. Por isso, é um trabalho completo e recorrente, exigindo manutenção preditiva e corretiva. Algumas empresas oferecem a instalação e fazem o monitoramento desses locais;
  • Empresas: outro ambiente que exige a instalação de câmeras na maior parte dos ambientes, mantendo um trabalho recorrente de manutenção preditiva.

 

Em cada uma dessas áreas, existe uma infinidade de opções para atuar. A Frahm é uma empresa com mais de 60 anos no mercado e oferece todo o suporte para os seus parceiros. Conheça as soluções da fabricante para o setor de CFTV. 

Acesse o site da Frahm e conheça todos os produtos para CFTV!

 

 

Comentários