Afinal de contas, de onde vem o áudio estéreo?


24 de junho de 2020


Afinal de contas, de onde vem o áudio estéreo?

Você sabe que o áudio estéreo é essencial para a sonorização ambiente de qualidade. Mas você conhece a origem do áudio estéreo? Para explicar, é preciso voltar no tempo. O ser humano sempre foi fascinado pelo som e pela música. Desde a Pré-história, foram feitos experimentos para aprender a manipular e entender o som da melhor forma possível, seja cientificamente ou de forma musical.

A história do áudio começa bem antes do que se imagina. Muitos pensam que ela se inicia com as primeiras gravações de som, realizadas no século 19. Mas a ideia de reproduzir e ampliar o som de forma a atingir um espaço mais amplo ou um público maior é tão antiga quanto as civilizações. 

As primeiras tentativas de entender como o som se comportava foram feitas pelos gregos e, logo em seguida, pelos romanos. Na Grécia Antiga, no século 6 a.C., o filósofo grego Pitágoras queria entender porque alguns sons musicais eram mais bonitos que outros. Seus estudos serviram de base para os princípios da acústica, o ramo da física que estuda o som. 

Esse conhecimento foi utilizado numa obra fantástica da Antiguidade e que pode ser visitada até hoje. No século 4 a.C., foi construído na Grécia o Teatro de Epidauro, uma das primeiras construções cujo projeto acústico foi levado em consideração. Com mais de 13 mil lugares, era possível ouvir com perfeição o que se apresentava no palco. 

Teatro de Epidauro
Teatro de Epidauro

E o que o áudio estéreo tem a ver com isso?

O áudio estéreo é parte da acústica, mas vamos chegar nele mais tarde. 

As tentativas de entender o som continuaram por muitos anos. Historiadores relatam que até a época da Renascença não houve grandes contribuições neste campo, apenas estudos pontuais. Até então, a manipulação do som através da arquitetura – a acústica arquitetônica – era tratada como uma forma de arte. Seus ensinamentos eram passados verbalmente ou por meio de livros antigos não muito aprofundados.

Alguns autores apontam que a virada de jogo ocorreu com Newton, em 1687, quando seu segundo livro, Philosophiae Naturalis Principia Mathematica, foi publicado. Mas a base teórica para construir toda a análise feita por Newton foi elaborada um pouco antes, no início do século 16, quando Leonardo da Vinci dedicou alguns anos de sua vida para o estudo do comportamento de fluidos. Desta forma, ele teorizou a equação da continuidade, uma das bases da equação da onda que descreve o comportamento de uma onda sonora em um fluido.

Entre 1687 e 1800, houve várias contribuições científicas à teoria do som, muitas delas estimuladas pelos trabalhos feitos pelos seus antepassados e na tentativa de refutar estas teorias. Mas foi em 1800 que o áudio começou a se tornar mais importante quando o primeiro sistema de gravação foi criado. Era um sistema mono, extremamente rudimentar que conseguia criar algumas informações de dimensões graças à reverberação do espaço onde as gravações eram realizadas.

Primeira transmissão de áudio da história

Em 1881, ocorreu o que talvez tenha sido o acontecimento mais importante do áudio. Durante a primeira Feira Internacional de Eletricidade de Paris, foi realizada a primeira transmissão de áudio de uma estrutura com 10 microfones para um sistema com 10 pares de transdutores a duas milhas de distância. 

O esquema utilizado era muito parecido com aqueles antigos sistemas de reprodução de vinil. O mais interessante é que este formato já conseguia simular alguns aspectos de movimentação de fonte sonora, o que chamamos de “imagem fantasma”no áudio estéreo. A invenção tornou-se tão surpreendente que virou uma espécie de espetáculo chamado de “Théâtrophone”. Era um sistema de distribuição telefônica que permitia aos assinantes do serviço ouvir uma apresentação de ópera e teatro.

Teatrofone
Teatrofone

Primórdios do áudio estéreo

Em 1907, Lord Rayleigh começou uma extensa pesquisa em áudio espacial e publicou um estudo chamada de teoria duplex. Os experimentos descritos pelo Lord Rayleigh baseavam-se em dois sinais de áudio para criar um efeito de localização sonora, uma forma rudimentar do sinal estéreo que conhecemos hoje. 

Em 1931, fortemente influenciado pelos estudos do Lord Rayleigh, Alam Dower Blumlein teorizou o áudio estéreo como conhecemos hoje, permitindo a criação de imagens fantasma entre as fontes sonoras. Se você quiser saber um pouco mais sobre a história e vida de Alam Dower Blumlein e a criação do estéreo você pode ler o livro “The inventor of stereo: the life and works of Alan Dower Blumlein” escrito por Robert Charles Alexander.

Não sabe ainda como posicionar seus alto-falantes para criar um sistema perfeito de reprodução de áudio estéreo? Então continua com a gente que vamos te explicar tudo sobre como configurar um sistema nos próximos artigos!

Comentários